Número total de visualizações de página

sábado, 23 de fevereiro de 2013

VÍTOR CEGONHO, TREINADOR DE HOMENS


CORAÇÕES DA CHAMUSCA


Em todas as localidades existem pessoas que, pelo seu empenho nos aspectos desportivos, culturais e sociais, foram e são como pequenos corações a insuflarem de vida a sua Terra. Devido aos caprichos humanos, dentre eles um tão cruel como é o esquecimento, estes Homens e Mulheres nunca viram reconhecido e valorizado o seu trabalho, com a estima que a sua dedicação merecia.
Pela importância que lhes atribuo no desenvolvimento da Chamusca, não os podia esquecer e deixar de lhes manifestar o respeito que me merecem e ter o prazer de partilhar com eles momentos das suas vidas e da história da nossa Vila.

&&&&&

         Vítor Manuel Martinho Cegonho, nasceu em 01/10/1946 na Chamusca e é actualmente tipógrafo reformado. Durante quarenta anos foi uma grande referência no desporto do concelho da Chamusca. No meu entender, para além de treinador foi um excelente formador de homens. Humilde, sensível e inteligente, soube sempre, com dedicação e frontalidade, educar as crianças, os jovens e os homens para os princípios e valores da vida. As suas equipas ganharam vários troféus de disciplina, devido à educação que levavam para o campo de futebol.
Os seus jogadores, ou os seus alunos, tiveram o privilégio, durante gerações, de desenvolverem talento e humanidade com os seus ensinamentos.
Por tudo o que referi, entendo que merecia uma justa homenagem. Esta entrevista é apenas uma forma que encontrei para agradecer, enaltecer e respeitar a figura deste HOMEM.




23/02/2013 - Vítor Cegonho, na sua casa, no decurso da entrevista.

- Quando e onde começou o se percurso no futebol?

O meu percurso no futebol começou quando eu tinha 15 anos. Como não havia na altura qualquer equipa federada, nós reuníamos um grupo de amigos e fazíamos alguns jogos amistosos com Ulme e com a Golegã.
Aos 17 anos ingressei no União de Almeirim como júnior, isto na época 65/65 na qual nos sagrámos campeões distritais.
No serviço militar continuei a praticar desporto e como jogador de futebol fiz parte da selecção do regimento de Elvas e também da selecção da Escola Prática de Engenharia em Tancos.


            1969 - Selecção da Escola Prática de Engenharia de Tancos
  
      - Depois abraçou a carreira de treinador de futebol amador. Durante quantos anos o fez?

Abracei a carreira de treinador amador e também como dirigente durante cerca de 40 anos. Tudo começou nos finais dos anos 60.
Possuo o diploma de treinador de Nível 1 e ainda o Diploma de Reciclagem, referente aos anos de 1989 e 1990




 Faziam parte desta equipa (em cima, da esquerda para a direita), João José Bento, João Francisco Godinho, José Maria Godinho, José Mira, António José Salvaterra, António Parreira e Vítor Cegonho. Em baixo, pela mesma ordem, Manuel João Laurentino, Manuel José Eva, Manuel Jorge Mira, Armindo Valério, Avelino Jesus, António Claro e João Cardador.

- Quais os clubes e os escalões em que trabalhou?

Trabalhei no Grupo Desportivo Chamusquense nos escalões de Iniciados, Juvenis e Juniores.
No União Desportiva de Chamusca nos escalões de Infantis, Juvenis, Juniores e uma época com Seniores.
Trabalhei no Grupo Desportivo do Pinheiro Grande na Categoria de Seniores, disputando o Campeonato do Inatel.
Trabalhei no União Carregueirense quatro épocas com a equipa de Seniores, disputando o Campeonato do Inatel e a 3.ª Divisão.
Na Carregueira participei ainda, por várias vezes, no Troféu “Carlos Arsénio” a treinar a equipa de iniciados, tendo jogado, nomeadamente contra Benfica e Sporting.



 1991 - Equipa Sénior do União Carregueirense

- Ganhou alguns títulos?

Quanto a títulos, fui Campeão Distrital de Iniciados na época 77/78, com o Grupo Desportivo Chamusquense, o que nos deu acesso a disputar  o Campeonato Nacional. Fui também Campeão Distrital de Juniores na época de 2001/2002, no União Desportiva de Chamusca e várias vezes vice-campeão distrital em diversos escalões.




Época 2001/2002 - O capitão de equipa Eduardo Guita acarinha Vítor Cegonho após a vitória por 1-0 sobre o Grupo Desportivo Alferrarede, que deu o título de Campeão Distrital de Juniores à equipa da União Desportiva da Chamusca. 



       Época 2001/2002 - Equipa da União Desportiva de Chamusca festejando a conquista do título distrital de Juniores.

          - Que motivações o levaram a despender tanto tempo ao futebol?

A grande motivação que me ligou tantos anos ao futebol, foi perceber o gosto e a paixão que tinha em trabalhar com crianças e também o facto de ser um apaixonado pela modalidade, procurando transmitir ao mesmo tempo todo o meu saber e conhecimentos para os treinos e para os jogos.




     1980 - Iniciados do Grupo Desportivo Chamusquense

- Qual a importância do fair-play no futebol?

Para mim o fair-play no futebol tem muita importância e é uma prática bonita de se ver quando é compreendida, no entanto é preocupante o comportamento pela negativa de alguns dirigentes, treinadores, atletas e apoiantes que pela sua dimensão podem fazê-lo deixar de existir.

          - Várias gerações de crianças e jovens passaram pela sua vida desportiva.
Entende que para além de treinador foi um formador de homens?

Sem dúvida, para além de treinador tinha uma preocupação constante em lhes transmitir, pela via do ensino, todos os procedimentos necessários que o fizessem aprender que para além do atleta era importante o Homem e o responsável pelo futuro.

      - Sente que o seu trabalho foi importante para o desporto e para a sociedade da Chamusca?
  
Senti sempre, ainda hoje sinto, a importância do meu trabalho em prol do desporto da minha Terra. Acho que fui um homem dedicado, teimoso, exigente, que procurou dar à Chamusca e à sua sociedade tudo aquilo que merecem.
Quero ainda referenciar que alguns dos jogadores que ajudei a formar, chegaram a jogar  em algumas equipas importantes no futebol nacional como a Académica e o Olhanense e em várias equipas do Distrito, sendo um excelente referência para o desporto e para a Chamusca.
  
          - Como vê o momento actual do desporto na Chamusca?

Penso que o desporto na Chamusca passa por dificuldades, que sempre existiram, contudo é necessário que pessoas com alguma juventude se sintam capazes e responsáveis e lhe possam dar continuidade, para podermos voltar aos êxitos do passado.

          - E a nível nacional?

Quanto ao desporto a nível nacional, referencio as modalidades amadoras: muita aplicação e pouco dinheiro. Nas modalidades profissionais: muito dinheiro e pouca aplicação.

        - Qual a mensagem que, como homem e desportista, gostaria de deixar às  pessoas?

Como homem e como desportista, quero aqui deixar a mensagem a todas as pessoas em geral que, ao participarem no que quer que seja, façam-no com o máximo respeito uns pelos outros, para que no futuro nos possamos olhar de olhos nos olhos e com um sorriso nos lábios, de forma a termos uma sociedade séria e saudável.



1991 - Vítor Cegonho, o seu filho João Miguel Cegonho, José Travassos, uma referência do Sporting Clube de Portugal e da Selecção Portuguesa e o Dr. João Loja, Ilustre Médico que exerceu durante anos na Chamusca


Alguns comentários à entrevista feitos através do facebook:




João Godinho comentou a tua ligação.
João escreveu: "ESTOU COMPLETAMENTE DE ACORDO CONVOSCO,Á MUITA GENTE NA NOSSA BONITA VILA QUE FEZ
 MUITO POR ELA E POR QUEM CÁ HABITA,TANTO NO DESPORTO COMO NA CULTURA ETC.DÁR MAIS UMA VEZ OS 
MEUS SINCÉROS PARABÊNS AO AMIGO CARLOS PELA ÓTIMA LEMBRANÇA QUE TEVE EM CRIAR ESSE BLOG,FALANDO
 DA NOSSA GENTE,E MUITOS ESTÃO ESQUECIDOS POR QUEM NÃO DEVIAM DE ESTAR,O CASO DO VITOR CEGONHO
 UM HOMEM BASTANTE SIMPLES,EDUCADO,RESPEITADOR,QUE AJUDOU MUITOS HOMENS DE HOJE A SER AQUILO 
QUE SÃO NA SOCIEDADE,RESPEITADORES,EDUCADOS,E RESPONSÁVEIS,A ONDE EU ME INCLUO,POIS FUI TREINADO
 PELO VITOR,ASSIM COMO MUITOS HOMENS DE HOJE.MUITO AINDA HAVIA PARA DIZER DESSE GRANDE HOMEM,
AMIGO,COMPANHEIRO,GRANDE FORMADOR DE HOMENS,AONDE PARA ELE A DISCIPLINA E O RESPEITO PELO OUTRO
 ESTAVA SEMPRE EM PRIMEIRO LUGAR,A MIM QUERO AGRADECER AO VITOR POR TUDO QUE FEZ POR NÓS NA NOSSA
 JUVENTUDE,UM GRANDE ABRÁÇO DE MUITA AMISADE E RESPEITO ,BEM HAJAS VITOR O MEU MUITO OBRIGADO POR
 TUDO. E FICA AQUI O APELO A TODOS AQUELES QUE PASSARAM PELAS MÃOS DO VITOR FAZERMOS UMA FESTA DE
 AGRADECIMENTO,VAMOS POR MÃOS Á OBRA OK? A TI CARLOS OLIVEIRA SÓ ME RESTA AGRADECER-TE POR TE 
LEMBRARES DESTA GENTE QUE TÃO ESQUECIDA ESTÁ,AQUELE ABRÁÇO FORTE AMIGO CARLOS E MUITA FORÇA PARA
 CONTINUARES COM ESSE TEU MAGNIFICO TRABALHO,BEM HAJAS"


Luis Vacas comentou a tua ligação.
Luis escreveu: "é pena nesta terra os homens com H grande nunca serem lembrados , como zé pinhal , o Fonseca, entre outros ,por isso os meus parabéns"


Ana Maria Soares comentou a tua ligação.
Ana Maria escreveu: "Tens toda a razão, que se olhe finalmente para as pessoas quase "desconhecidas" que tanto contribuiram para a vida de outros."


É COM MUITA EMOÇÃO E AO MESMO TEMPO ALEGRIA QUE FALO DESTE GRANDE SR,PARA
 MI FOI COMO UM PAI É UM HOMEM QUE A MAIOR PARTE DOS PAIS DA CHAMUSCA SE 
DEVEM ORGULHAR DOS SEUS FILHOS TEREM PASSADO PELAS MÃOS DESTE GRANDE SR,
É UM HOMEM DO QUAL EU ME ORGULHO DE SER TREINADO POR ELE EDUCADO POR ELE
 E MAIS TARDE VIR A FAZER O MESMO COM O MEU FILHO QUE AINDA HOJE FALA NELE TAL
 COMO EU COM GRANDE ORGULHO CONTO AQUI UMA PEQUENA ESTÓRIA NO ANO EM QUE
 FOMOS NA CHAMUSCA CAMPEÕES DETRITAIS FOMOS JOGAR Á ACADÉMICA DE SANTAREM
 E O SR VICTOR ESTÁVA COM PEDRA NO RIM E NO DOMINGO QUANDO IAMOS PARA IR PARA
 SANTAREM O NOSSO MESTRE NÃO APARECIA E PERGUNTAMOS AO DIRETOR QUE ERA O
 JOÃO GODINHO POR ELE QUE NOS DISSE QUE NÃO VINHA PORQUE ESTAVA MUITO DOENTE
 NÓS FICAMOS TÃO PREOCUPADOS QUE FIZEMOS QUESTÃO DE IR A CASA DELE VÊLO ELE
 TRUCIA~SE CHEIO DE DORES NO QUAL NOS FICAMOS MUITO TRISTES POR ELE E 
PROMETEMOS QUE IAMOS LÁ GANHAR QUANDO SAIMOS DE CASA DELE VINHAMOS TODOS
 COM OS OLHOS CHEIOS DE ÁGUA GRAÇAS A DEUS ELE MELHOROU E NA TERÇA FEIRA LÁ
 ESTAVA PARA TRABALHAR CONOSCO Á E O RESULTADO FOI 5A3 GANHÁMOS NÓS SÓ POR
 ESTA ESTÓRIA PODESSE VER A AMIZADE QUE AVIA ENTRE NÓS E ELE MUITO OBRIGADO 
GRANDE SR VITOR CEGONHO UM ABRAÇO.

FERNANDO M. A. MARQUES 




  • O Homem da minha vida...



    Jorge Jesus 

    ja a muito que este homem merecia uma grande homenagem.....

    • Tudo o que o meu pai escreveu acima é deveras verdade, o Sr. Victor Cegonho
       foi uma inspiração para mim tal como foi para todos os que jogavam comigo. 
      Não são precisas muitas palavras para descrever este Senhor, educação, respeito, motivação e saber estar.
      Um treinador que faz falta nos dias que correm, um treinador que andes disso

       era essencialmente um amigo, enfim, fico feliz por um dia alguém ter tido a feliz 
      ideia de falar sobre este Senhor.
      Deixo aqui um grande abraço ao meu treinador de sempre.
                                                                         Nuno Silva Marques
    Julio Hipolito
    Julio escreveu: "AMIGO CARLOS PARABENS E OBRIGADO PELA LEMBRANCA DE MAIS
     UMA FIGURA QUE MARCOU SEMPRE PRESENCA NA NOSSA CHAMUSCA! NAS MINHAS
     LEMBRANCAS RECORDO-ME O VITOR COMO DESPORTISTA! BEM HAJA!!"






       A AMIZADE - Vítor Cegonho, Zenaide Oliveira, Maria José Cegonho e Maria Emília Vacas, numa tarde de fados no União Desportiva da Chamusca, poucas semanas antes do seu falecimento. (foto tirada por João José Matias Bento).


A AMIZADE É ETERNA

Faz hoje um ano que entraste pelo anfiteatro da Biblioteca Municipal da Chamusca, com o habitual sorriso feliz e franco a iluminar-te o rosto, acompanhado, como sempre, pela mãe dos teus filhos e a Mulher da tua vida, a Maria José. Ias assistir a um recital de poesia para comemorar a Revolução de 25 de Abril de 1974, como homem de cultura, de valores, de liberdade, de apego sincero e participativo na vida da tua Terra. Levantei-me e cedi-te o meu lugar, que educadamente agradeceste: «obrigado Oliveira». O apelido pelo qual, desde os meus 13 anos, quando fui treinado por ti, sempre me trataste e que permaneceu até àquele dia. Foi a última vez que te vi e ouvi, pois a noite trouxe-te o breu e o silêncio da morte.
Recebi com desespero e sofrimento a notícia do teu falecimento. Chorei, chorei porque não era possível conter as memórias, esquecer o espírito e a honestidade de quem para mim era um exemplo de vida.
Nada escrevi sobre ti naqueles momentos, porque aquele era um tempo de reclusão na minha dor.
Hoje, passado um ano sobre o teu falecimento, gostaria de dizer que como Treinador, Homem, Pai e Marido és uma referência viva na minha vida. Que possam todos os homens ser humildes, competentes, honestos e acolher no seu íntimo tanta humanidade, como o teu coração albergou.
À tua família deixo uma bênção de coragem e de esperança que a ti nunca faltou.
De mim, quero que saibas que a nossa AMIZADE É ETERNA.
Muito obrigado por tudo o que representas e um Forte Abraço, do teu Amigo,
«Oliveira».



Fernando Marques25 de Abril de 2014 20:44
Grande formador de homens aprendi muita coisa para a vida com ele Obrigado Sr Vítor.

Fátima Caixa grande homem o senhor victor esteja onde estiver esta sempre nos nossos coracoes

Victor Moedas comentou uma ligação que partilhaste.
Victor escreveu: "Precisamente um ano que falei pela ultima vez com o Saúdoso Vitor Cegonho na Biblioteca Municipal da CHAMUSCA que descanses em PAZ Amigo Vitor"






Amigo, Carlos Oliveira, o ultimo 25 de Abril de Victor Cegonho !!! 2013  (fotografia)



































3 comentários:

  1. FERNANDO M, A. MARQUES24 de fevereiro de 2013 às 10:36

    É COM MUITA EMOÇÃO E AO MESMO TEMPO ALEGRIA QUE FALO DESTE GRANDE SR,PARA MI FOI COMO UM PAI É UM HOMEM QUE A MAIOR PARTE DOS PAIS DA CHAMUSCA SE DEVEM ORGULHAR DOS SEUS FILHOS TEREM PASSADO PELAS MÃOS DESTE GRANDE SR,É UM HOMEM DO QUAL EU ME ORGULHO DE SER TREINADO POR ELE EDUCADO POR ELE E MAIS TARDE VIR A FAZER O MESMO COM O MEU FILHO QUE AINDA HOJE FALA NELE TAL COMO EU COM GRANDE ORGULHO CONTO AQUI UMA PEQUENA ESTÓRIA NO ANO EM QUE FOMOS NA CHAMUSCA CAMPEÕES DETRITAIS FOMOS JOGAR Á ACADÉMICA DE SANTAREM E O SR VICTOR ESTÁVA COM PEDRA NO RIM E NO DOMINGO QUANDO IAMOS PARA IR PARA SANTAREM O NOSSO MESTRE NÃO APARECIA E PERGUNTAMOS AO DIRETOR QUE ERA O JOÃO GODINHO POR ELE QUE NOS DISSE QUE NÃO VINHA PORQUE ESTAVA MUITO DOENTE NÓS FICAMOS TÃO PREOCUPADOS QUE FIZEMOS QUESTÃO DE IR A CASA DELE VÊLO ELE TRUCIA~SE CHEIO DE DORES NO QUAL NOS FICAMOS MUITO TRISTES POR ELE E PROMETEMOS QUE IAMOS LÁ GANHAR QUANDO SAIMOS DE CASA DELE VINHAMOS TODOS COM OS OLHOS CHEIOS DE ÁGUA GRAÇAS A DEUS ELE MELHOROU E NA TERÇA FEIRA LÁ ESTAVA PARA TRABALHAR CONOSCO Á E O RESULTADO FOI 5A3 GANHÁMOS NÓS SÓ POR ESTA ESTÓRIA PODESSE VER A AMIZADE QUE AVIA ENTRE NÓS E ELE MUITO OBRIGADO GRANDE SR VITOR SEGONHO UM ABRAÇO

    ResponderEliminar
  2. Tudo o que o meu pai escreveu acima é deveras verdade, o Sr. Victor Cegonho foi uma inspiração para mim tal como foi para todos os que jogavam comigo. Não são precisas muitas palavras para descrever este Senhor, educação, respeito, motivação e saber estar.
    Um treinador que faz falta nos dias que correm, um treinador que andes disso era essencialmente um amigo, enfim, fico feliz por um dia alguém ter tido a feliz ideia de falar sobre este Senhor.
    Deixo aqui um grande abraço ao meu treinador de sempre.

    ResponderEliminar
  3. As minhas desculpas por "invadir" um espaço que não é meu, mas depois de ler este POST extraordinário não podia em consciência deixar de mandar um forte Abraço a Esse Grande SENHOR chamado Victor Cegonho. Treinou-me 2 anos no Grupo Desportivo da Chamusca (foto dos Anos 80 - Guarda Redes), e tendo jogado futebol cerca de 20 anos, não conheci um treinador com tanto para dar aos seus "educandos". Foi Nosso PAI, AMIGO, IRMÂO...Foi Tudo...ATÈ TREINADOR!!!! BEM HAJA SR: VICTOR CEGONHO!
    Carlos Rato

    ResponderEliminar